Home Post 4520-cap-50

4520-cap-50

Tradução: Hori

Revisão: Lady Carstairs

Capítulo 50

 

 

 

 

 

Daphine assentiu com um rosto inocente.

 

— Sim, ela me disse que Sua Majestade pescou vários peixes sem a ajuda de ninguém.

— Hum.

 

O imperador tossiu envergonhado.

Não muito tempo atrás, Daphine ouviu essa história enquanto olhava para as pinturas feitas pela Imperatriz.

Daphine virou para a próxima página depois de ver os olhos fracos do Imperador.

 

— O que é esta pintura?

 

O Imperador imediatamente perguntou curioso.

Na pintura havia moribundos e uma bela mulher como uma santa que os salvou.

Claro, foi um pouco confuso porque era uma imagem personalizada do nível de uma criança.

Daphine explicou imitando uma criança inocente.

 

— Isso é um segredo. Soube que a Imperatriz enviou grãos para as pessoas que estavam prestes a morrer de fome na fronteira.

— O quê?

— Ontem ouvi Adrian e Violetta falarem sobre isso.

— Hum.

 

O canto da boca do imperador ergueu-se bruscamente.

Ele também soube depois de ouvir um relatório ontem à tarde.

A Imperatriz parecia ter resolvido o assunto, sabendo que havia um problema na fase de suporte. O imperador imediatamente verificou a verdade e ordenou a prisão dos corruptos.

No entanto, quando o imperador ouviu novamente pela boca de uma criança, ele ficou chateado e com raiva.

"Então por que a Imperatriz não me conta sobre isso? Isso faz com que as pessoas a entendam mal e a irritem. Droga…"

Ele estava furioso. A Imperatriz nunca lhe diz nada direito.

O Imperador grunhiu interiormente, então apontou para a imagem e perguntou.

 

— Então esta é a Imperatriz?

— Isso.

— Por que a Imperatriz está virando as costas para eles?

 

A mulher na foto estava de costas para as pessoas que a agradeceram.

 

— É porque Sua Majestade é tímida.

— O quê?

— Quando eu faço algo bom, tenho que contar logo para a minha mãe e para o meu pai, mas tem gente que não consegue porque tem vergonha. Meu irmão Adrien também é assim.

— …

— Ela deve ter vergonha, porque não precisa ser elogiada. Porque sabe que pode fazer muito melhor!

 

A expressão do imperador suavizou-se com essas palavras.

"Sim, esse é o tipo de personalidade que a Imperatriz tem."

Ao contrário do imperador que gostava de exaltar a si mesmo, a Imperatriz era o oposto.

Quando o imperador era jovem, ele invejava o caráter da imperatriz. Parecia que ele ia morrer de frustração com isso agora.

Daphine olhou para o imperador pensativo com uma expressão curiosa.

Na história original, o Imperador visita a Imperatriz depois de saber a história por trás do incidente.

"E há algumas brigas de novo."

O imperador argumentou consigo mesmo.

"Por que você nunca me conta nada, Imperatriz?"

"Vocês dois são muito teimosos…"

Daphine complementou furiosamente. Porque depois da briga, os dois fecharam completamente a porta de seus corações.

O ponto principal é que os mal-entendidos continuaram aumentando e depois explodindo devido à falta de diálogo.

"Sua expressão é um pouco relaxada."

Daphine entregou o caderno de desenho da próxima pintura enquanto olhava para a expressão sutil do Imperador. Pouco tempo depois, o Imperador acordou de seus pensamentos e viu Daphine.

Na pintura, ele viu um avô que estava com raiva. Ao lado dele estava um menino ajoelhado.

 

— O que é esse desenho?

 

O Imperador perguntou com uma expressão curiosa. Ele parecia imerso na explicação de Daphine sobre o desenho.

Era como se a pintura contasse outra história do que Daphine viveu.

Daphine imediatamente começou a agir com entusiasmo.

 

— Sua Alteza, você sabe o quão desapontado o Imperador ficará com você?

 

De repente, Daphine gritou, os olhos do Imperador se acalmaram.

Daphine apontou para o ar e gritou alto. Fingindo ser a voz de alguém.

 

— Você é um príncipe herdeiro idiota? Idiota!

Patético! Se não se sair bem, o segundo príncipe tomará seu lugar! É por isso que Sua Majestade o Imperador odeia Sua Alteza o Príncipe Herdeiro!

 

Claro, essas palavras foram um pouco exageradas.

 

— O que você está fazendo…?

 

Quando o Imperador perguntou, Daphine disse.

 

— Haa…

 

Enxugando o suor e dizendo com um grande sorriso.

 

— Essas palavras eu copiei do mestre de ensinamento do irmão Zherkan!

— O quê?!

— A última vez que o vi, sua voz era muito forte. Achei que iriam arrancar minhas orelhas.

— Ele disse isso?

— Sim.

 

A testa do imperador enrugou.

Não importa o quão rigoroso ele seja com seu filho, nenhum pai ficará parado quando um professor de educação diz uma coisa dessas ao seu próprio sangue.

"Todos os pais não são iguais. Mas mesmo que eu repreenda meus filhos, não suporto quando outros o fazem sem o meu consentimento."

Em uma palavra, era a lógica da frase <Não mexa com meus filhos ou eu te mato.>

Antes que a expressão do Imperador se transformasse em raiva, Daphine virou para a próxima página.

 

— Este é apenas um desenho comum.

 

Um buquê de flores de várias cores foi desenhado no caderno. Era um buquê grande o suficiente para encher uma folha de papel.

Daphine rasgou a página e entregou ao Imperador

 

— É um buquê.

— …

— Desenhei a flor favorita de Sua Majestade a Imperatriz. Gostaria que Sua Majestade o Imperador o entregasse por mim.

— Você está me pedindo para dar isso a ela?

— Sim, sou um pouco tímida! Vossa Majestade, por favor…

 

Quando Daphine falou sem nenhuma expressão de embaraço, o Imperador sorriu como se estivesse atordoado.

Mas quando ele viu que já estava segurando o papel com cuidado para não jogar fora, parecia que estava fazendo um favor a ela.

 

— Bem, quê?

— O senhor deve entregá-lo hoje.

— Entendo.

— Ah, e…

— Sim?

— Eu me perdi quando vim para cá, mas Peter Grint me trouxe aqui.

— Ah, sério?

— Sim. Ele foi muito gentil!

— …

 

O Imperador tinha uma expressão em seu rosto que dizia: “E daí?”, mas ele não disse isso em voz alta.

Daphine desapareceu do local após dar TMI* ao Imperador.

 

(*N/T:TMI.- refere-se a fornecer muitas informações desnecessárias ou indesejadas.)

 

Depois de um tempo, os assistentes que fizeram uma doce pausa entraram no escritório.

O imperador, ainda pensando, escondeu o desenho do buquê sob os papéis.

 

Então ele perguntou ao atendente real.

 

— Você disse que tinha uma filha, certo?

— Eh? Ah sim. Isso mesmo, Majestade. Eu tenho três filhas.

— Mmm… Como são suas filhas?

— Huh?

 

Quando o atendente perguntou com uma expressão confusa, o Imperador esfregou o queixo como se estivesse envergonhado.

 

— Não, quero dizer, suas filhas geralmente são tão fofas e boas em falar?" Sem ter medo de falar.

— Se eles são fofas e falam bem? Minhas três filhas são mais diretas do que Sua Alteza Zherkan

— Entendo…

 

O imperador virou a cabeça desapontado. Então ele se levantou e pegou o caderno de desenho que tinha escondido sob a pilha de papéis.

 

— Eh? Onde você está indo? Sua Majestade?

 

Os assistentes perguntaram com um olhar preocupado.

"Onde ele vai com essa pilha de papéis?"

Quando questionado com um olhar, o Imperador respondeu com confiança.

 

— Tenho que fazer um passeio, voltem aos seus trabalhos.

— Sim, vossa Majestade.

 

◈ ━━━━━━━ ⸙ ━━━━━━━ ◈

 

Daphine caminhou junto com o servo do imperador que prometeu levá-la e soltou a mão do servo perto do jardim do palácio da imperatriz.

 

— De agora em diante, posso ir sozinha.

— Sim? Mas…

— É bem em frente, então está tudo bem.

— Está bem.

 

Quando Daphine falou com ousadia, o servo assentiu apressado como se estivesse ocupado e saiu.

Daphine sentou-se no banco em frente ao palácio por um momento. Foi porque ela tinha que organizar seus pensamentos com os espíritos.

"Olhando a atitude do Imperador… não acho que o Imperador odeie tanto assim a Imperatriz. Vocês não acham? Como vocês viram isso?"

 

[— Sim, eu concordo, bebê.]

{O mesmo vale para a Imperatriz, mestra. O que vou te contar é um segredo… Mas a Imperatriz sempre perguntava o que o Imperador gostava através da adivinhação de espíritos.}

 

"De verdade?"

 

{Sim. Sabe o que ela fez quando eu disse que ele gostava da cor azul? Ela usou vestidos azuis por um bom tempo.}

 

Orphana riu ao dizer isso.

"Ei, seu desgraçado…"

Daphine respirou fundo, porque ele havia zombado da Imperatriz.

Então, pode-se dizer que o Imperador e a Imperatriz estavam apaixonados um pelo outro, mas então por que o Imperador a traiu?

"Ou será que a segunda rainha, Rebeca, usou uma técnica proibida, como um feitiço no Imperador?"

Em primeiro lugar, o visconde Tedler era o pior ser humano falando mal, então não era de se estranhar que ele tivesse algo a ver com magia proibida.

 

— Ei!

 

Foi quando…

Daphine virou a cabeça para a voz que a chamava.

 

— É você! Não é?

 

A pessoa que se aproximava de longe era uma pessoa que Daphine nunca quis conhecer.

 

— Sou Antony.

 

Era o segundo príncipe, então ela franziu a testa e desceu do banco.

Antony também, por algum motivo, estava sozinho sem criados ao seu redor.

 

— Por que você está aqui sozinha? Ah, você também está brincando de esconde-esconde?

— …

 

Daphine olhou para Antony com uma expressão patética.

Ela lembrou que seus irmãos Luca e Louis, que tinham a mesma idade de Antony, não brincavam mais de esconde-esconde.

"Mas ele ainda é… mais infantil."

Daphine sempre se sentia cansada quando saía e brincava com crianças em idade mental muito baixas.

Então, quando Daphine tentou se virar, Antony gritou.

 

— Ei! Você está me ignorando? Não sabe quem eu sou?

 

No entanto, quando Daphine não olhou para trás, Antony de repente agarrou o cabelo de Daphine.

 

— Argh!

 

Daphine ficou surpresa e olhou para trás.

Como pode um pirralho puxar seu cabelo?

 

— Você sabe quem eu sou agora? Eu posso te perdoar porque eu te achei muito bonita…

— Me solta!

— Você está de joelhos agora… hahaha, o que… Argh!

 

Daphine não ficou para trás e beliscou o braço de Antony com força.

Ela não ia permitir que aquela criança imatura puxasse o seu cabelo.

 

「 Leia primeiro em: 

     Cerisescan.com