Home Post 4458-cap-18

4458-cap-18

Tradução: Hori

Revisão: Roxi

Capítulo 18

 

— Bem, eu não sei se você acredita. Mas…

 

Outra gota de lágrima caiu. A mão de Iseult, que segurava com força a barra do vestido, ficou branca. Ela, que estava mordendo os lábios, logo começou a chorar.

 

— Me desculpe… me desculpe, estou tão atrasada…

 

A maquiagem que ela colocou na tentativa de ficar bonita deve ter borrado. O vestido que ela havia arrumado estava amassado por sua mão há muito tempo. Fidelis, que não disse nada, simplesmente não sabia como encarar esta situação.

 

A aparência desesperada e triste de Iseult não era mentira. Agora ela entendia por que foi transferida para cá. Iseult a trouxe aqui, o diabo lhe disse indiretamente.

“Você me levou na frente de Iseult para que pudéssemos nos encontrar de novo?”

O nome Fidelis dado a ela pelo jogo era seu nome verdadeiro. Pouco depois de hesitar, Fidelis foi até Iseult e parou. Hakan olhou para seus pés descalços e franziu a testa ligeiramente como se não gostasse.

 

— Está bem?

 

Não importa o quão raro seu cabelo branco fosse, as duas não poderiam ser as únicas neste mundo. Certamente poderia haver outra pessoa com cabelos brancos além dela.

 

— Fidelis, sou sua irmã.

 

Enxugando as lágrimas, abriu um largo sorriso e acariciou afetuosamente a cabeça de Fidelis.

 

— Não reconhece sua irmã?

 

De alguma forma, Fidelis estava com o coração partido e seus olhos estavam doloridos.

 

— Família…

 

Em algum lugar, um sussurro reprimido saiu de Fidelis.

 

— Eu também tinha uma família.

 

Iseult deu-lhe um grande abraço.

 

— Você é minha irmã Fidelis, e desta vez eu vou te proteger.

 

Ao mesmo tempo, ouviu-se uma voz na cabeça de Fidelis.

“— Você é minha irmã, eu sempre vou te proteger.”

 

Uma imagem borrada apareceu. Era como o rosto de Iseult à sua frente, mas aos poucos ficou claro que ela era muito mais jovem. Fazendo uma coroa e colocando na cabeça dela. Os olhos de Fidelis se arregalaram e ela murmurou.

 

— Uma coroa rosa?

 

Iseult fitou Fidelis com olhos trêmulos.

 

— Se lembra? A Coroa! Aquela que eu fiz para você!

 

Ela sorriu levemente quando Iseult fez um estardalhaço com um rosto encantado.

 

— Sim, uma coroa de flores cor de rosa.

— Isso!

 

Pulando no lugar, Iseult, começou a rir alegremente e conversar ao invés de derramar lágrimas, Hakan olhou para elas com doçura e baixou os olhos ao ouvir um sussurro. Edu e Essie olharam para ele.

 

[— Oh…]

[— In-incrível!]

 

— …

 

Hakan se perguntou o que estava acontecendo com elas.

 

*****

 

*Sak. Sak. Sak*

 

— Por que elas estão te seguindo?

— Ah, elas são minhas amigas.

 

Enquanto Hakan murmurava baixinho ao som, Fidelis, que estava apoiada em seus braços, lhe disse. Quando Hakan fingiu estar triste por Dino ter quebrado seus sapatos, Fidelis acariciou sua cabeça e o confortou. Ao mesmo tempo, Iseult desviou o olhar.

 

— Acho que não posso fazer isso.

 

Iseult, que brincava com a mão de Fidelis, sorriu ao dar um soco no rosto de um fantasma que apareceu de repente na parede.

 

— Você viu isso, Fidelis?

 

Fidelis sorriu desconfortavelmente para Iseult, que havia matado aquele fantasma. Ela sabia que elas eram uma família, mas Fidelis não se sentia ainda muito confortável.

 

— Sim, isso é incrível.

— Sou muito forte, acredite.

 

Com uma voz confiante, Iseult inflou o peito. Hakan a olhou e abraçou Fidelis ainda mais forte. Fidelis não sabia o que fazer. Com sua nova família, Iseult, que não sabia da existência até pouco tempo atrás, o forte Hakan, e os fantasmas de estimação Edu e Essie, os arredores de Fidelis eram muito barulhentos.

 

Ela realmente não odeia isso. O que ela não gostou foi da situação em que se encontravam, apenas por causa de sua aparência semelhante a Sahra, o diabo tinha feito tudo isso. Não que ela realmente não entendesse, mas Fidelis não estava mais disposta a sentar e esperar.

 

Nada poderia dar errado, foi a primeira vez que Fidelis provou a felicidade. Pela primeira vez recebeu amor incondicional. Iseult era realmente sua família e ela era uma pessoa daqui. Ela não tinha intenção de aceitar silenciosamente ser um bode expiatório, deixando o diabo tomar conta de sua vida mal recuperada.

 

Claro que ela ainda estava com medo. Mas agora que ela tinha Iseult, Hakan, Edu e Essie ao seu lado, achava que era uma coisa boa ela ter vindo aqui, não era tão ruim. Não importa quantas vezes ele olhasse para o corredor escuro e assustador, ela não choraria como da primeira vez.

 

— Huh?

— O quê?

 

Olhando para o corredor com um aceno de cabeça e uma leve carranca em seus olhos, algo verde estava balançando.

 

— É um homem?

— Não, acho que é um fantasma.

— Vamos por esse caminho?

 

Fidelis não tinha certeza, mas os outros calmamente tentaram se virar.

 

— Me salvem!

— É uma pessoa …

— Ah.

— Ah.

 

Ao mesmo tempo, os outros suspiraram. A figura de um homem se aproximando rapidamente, gritando, gradualmente se aproximou. Com cabelo verde brilhante, ele parecia ser um homem bonito, mas estava sendo perseguido por um assassino que usava uma máscara de urso e tinha lágrimas nos olhos.

 

Assim que viu o assassino, Fidelis inconscientemente apertou seu braço ao redor do pescoço de Hakan. De fato, Hakan levantou o canto de sua boca sentindo um leve formigamento.

 

— Iseult!

 

O homem que encontrou Fidelis e seus companheiros correu em direção a eles e imediatamente abraçou Iseult.

 

— Você não vai me soltar?

— Me salve! Por favor não me deixe!

 

Vendo o homem pendurado desesperadamente em Iseult, Hakan segurou Fidelis e deslizou para trás deles. A força do braço de Fidelis também se fortaleceu ao mesmo tempo em que o assassino se aproximava rapidamente. Tudo bem porque eles estavam juntos, mas isso não tirou o medo.

 

Iseult, que tentava afastar o homem sem esconder seu aborrecimento, aproximou-se do assassino e viu Fidelis olhando para ele, encolhendo os ombros. E ela fez uma longa lança com magia e a enfiou no estômago do assassino.

 

A máscara caiu quando o assassino, que parou de andar, tropeçou e caiu. Uma nota branca saiu de lá. Iseult pegou o bilhete e o entregou a Fidelis com o homem ainda segurando seu pescoço com força.

 

— Eu fiz um bom trabalho?

 

Fidelis sentiu que podia ver uma cauda invisível atrás de Iseult. A resposta veio do homem abraçado a Iseult, não de Fidelis.

 

— Sim! Iseult é a melhor!

— Eu não te perguntei nada.

 

Os ombros do homem caíram quando Iseult cerrou os dentes. Fidelis voltou-se nervosamente para o assassino caído enquanto observava Iseult tentar separar o homem dela.

 

Fidelis deu um suspiro de alívio ao ver o assassino morrer e depois desaparecer. Finalmente, o homem que estava abraçando Iseult sorriu alegremente e fez contato visual com Fidelis.

 

— Olá! Eu sou Zion, sou um seguidor de Iseult.

 

Fidelis respondeu à apresentação confiante de Zion com uma leve palma, sem saber como responder.

 

— Uau…

 

Hakan, segurando gentilmente suas mãos com curativo, conteve seus movimentos.

 

— Suas mãos ainda não cicatrizaram, vai doer se bater palmas.

 

Os lábios de Hakan tocaram os dedos de Fidelis, um toque que lhe tirou o fôlego.

Quando a surpresa Fidelis se encolheu, ele inclinou os olhos afetuosamente, olhando para ele com os lábios colados aos dedos em vez de removê-los. Zion olhou para a cena, e Iseult ergueu as sobrancelhas como se não gostasse. Zion observou em silêncio, mas logo abaixou a cabeça e disse.

 

— A propósito, quem é o homem que finge ser tão doce?

 

Iseult riu da pergunta de Zion. Hakan colocou a mão de Fidelis em seu lugar. Um olhar feroz caiu sobre Zion, mas ele fez uma cara ingênua e inclinou a cabeça.

 

— Hakan?

 

Fidelis levantou o dedo e apontou para Hakan, e Hakan voltou a colocar os lábios na ponta dos dedos. As orelhas de Fidelis ficaram vermelhas quando o beijo fez um pequeno som. Zion apertou as mãos e riu.

 

— Ha, ha, ha.

 

“Acho que é o mesmo nome. O mesmo nome e o mesmo rosto. Mas, não é Hakan, ele é uma pessoa assustadora que não consegue fazer uma cara tão amigável, então provavelmente é outra pessoa.”

 

— Você é o gêmeo dele?

 

Zion sorriu baixinho, absolutamente pensando que não seria Hakan. Iseult inclinou o rosto e começou a conter o riso. Quando Zion balançou a cabeça, Fidelis inclinou o rosto e perguntou.

 

— Hakan tem um gêmeo?

 

Os olhos ferozes de Hakan que estavam em Zion rapidamente se suavizaram e se voltaram para Fidelis.

 

— De jeito nenhum, ele é louco.

— Este é Hakan.

 

Depois de enxugar as lágrimas ao redor dos olhos, Iseult acariciou o cabelo de Fidelis. Zion abriu bem a boca, verdadeiramente espantado com as palavras calmas de Iseult.

 

— Impossível! Não pode ser Hakan que está sorrindo tão bem!

— Por que? Está com problemas de visão?

 

Enquanto franzia a testa, Zion gritou.

 

— Não pergunte tão gentilmente!

— …

 

Embora ele não tenha perguntado com muita gentileza, Zion ficou apavorado. Iseult logo começou a rir, batendo nas coxas. Só Fidelis não conseguiu acompanhar a situação e tinha inúmeras perguntas em sua cabeça.

 

Hakan olhou para Fidelis e rangeu os dentes. É por isso que ele não queria encontrar ninguém. Ele tocou levemente a bochecha da garota, entregando-a para Iseult. Ela pegou Fidelis com facilidade.

 

— O quê? Alguma coisa aconteceu?

— Não, preciso falar com ele um minuto.

— Eh? Eu? Não quero…

 

Querendo ou não, Hakan pegou as costas de Zion e caminhou um pouco mais longe de Fidelis e Iseult, para um lugar onde elas não podiam ouvir.

 

Fidelis, que estava nos braços de Iseult, olhou para o rosto dela com hesitação. Iseult parecia emocionada.

 

— Bem, pode me abaixar…

— Não, não! E se você machucar seu pé novamente?

— Não dói muito.

— …

 

Por alguma razão, o rosto de Iseult parecia aflito. Fidelis estava confusa porque parecia ter cometido um erro. Então, ela deu um tapinha desajeitado no ombro de Iseult.

 

.